quarta-feira, 24 de maio de 2017

CARTA DA JUVENTUDE CAMPONESA DO ARARIPE




O Camponês de Nazaré nos reuniu na II Escola de Formação Rosimare Alves, entre os dias 19 e 21 de maio de 2017, na Casa do Romeiro em Santa Cruz da Venerada – Diocese de Petrolina, a Juventude Camponesa dos Territórios Diocesanos de Petrolina e Salgueiro.
Rememorar a camponesa, mãe, educadora, presidenta do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Cruz da Venerada, a companheira de luta em defesa da educação  pública, gratuita, de qualidade e integral, Rosimare Alves, assassinada pelo esposo, é trazer fortemente a luta contra o feminicídio, a luta contra a exploração sexual de menores, a importância de denunciarmos qualquer tipo de agressão e violência, de cobrarmos mais políticas públicas voltadas à juventude e do fortalecimento da juventude através da mobilização, formação e organização.
A caminhada há 34 (trinta e quatro) anos, desde 1983, onde no Rio Grande do Sul e em Pernambuco, teve início à construção de uma organização da Juventude Camponesa. Juventude esta, que queria defender seus direitos, ter uma vida digna na roça, conhecer e estudar sua realidade, para nela atuar. Atuação sempre em defesa da vida, daqueles e daquelas que amam e que cuida de seu chão, sua mãe, que lhe dá seu sustento permitindo a continuidade da vida… a terra. Esta organização recebeu o nome de Pastoral da Juventude Rural – PJR e hoje estar presente em 22 (vinte e dois) estados do país.
Nesse encontro, vem o advento da mobilização e organização da juventude e dos pobres e oprimidos, das nossas pautas, lutas, desafios, unidade e perseverança e doação na construção do Reino de Deus na Terra, ou seja, de um Projeto Popular para o Brasil e nele um Projeto Popular para Campo. Assim, a Juventude Camponesa também é protagonista nessa construção.
Viemos reafirmar com toda a Juventude Camponesa o nosso compromisso de formarmos jovens cristãos e jovens cristãs conscientes de seu papel na história e na sociedade. Jovens que denunciem tudo o que causa morte das pessoas e da natureza, vivendo de forma coerente, testemunhando e anunciando a Boa Nova proclamada por Jesus: “que o povo oprimido irá se libertar”.
A formação é o elemento central para tirarmos as traves que historicamente foram colocadas em nossos olhos e na maneira de compreender e identificar os desafios da realidade e buscar transformá-los, com base no legado deixado pelo Nazareno.
Retornamos as nossas comunidades motivados e motivadas a “Ser sal da terra, Luz do mundo e fermento na massa” (Mt 5,13-14; 13,33): SAIR indo ao encontro da mãe terra, comunidade e soberania alimentar; AGIR sendo sal, luz e fermento na nossa atuação no mundo; GRITAR fazendo ecoar o clamor da juventude por Mística, Luta e Resistência; de articular fé e ecologia em nossa paixão de cuidado e respeito a mãe terra.

Propomos-nos a romper todas as cercas que nos aprisionam, a mobilizar e organizar a Juventude do Campo, a construir a unidade entre a Juventude do Campo e a Cidade, realizar momentos de formação nas comunidades, municípios e região, integrar a juventude Camponesa da Diocese de Petrolina e Salgueiro, construirmos um planejamento anual de atuação e formação conjunta entre as Pastorais, Expressões, Novas Comunidades, Organizações, Instituições e Movimentos Populares dos territórios Diocesanos, denunciar o extermínio da Juventude, denunciar o avanço do conservadorismo materializado na violência contra as mulheres, o racismo e a LGBTfobia, denunciar a criminalização dos movimentos sociais, estarmos conectados a todas as lutas em defesa da vida do jovem e sermos Igreja em saída.
Nesse sentido, rememoramos ao Grande Companheiro Frei Jessé (um dos fundadores da PJR) através de um dos seus pensamentos: “Quando o povo se organiza, a Igreja se torna Viva e Libertadora”. Nessa mística, com coragem e a esperança continuamos a nossa luta pela vida e em vista do Bem Viver (Jó 10,10), por isso, afirmamos Bote Fé na caminhada pela Terra Livre Brasil, para construirmos e sermos sinal do Reino de Deus na Terra, caminharmos nas lutas: contra a retirada de diretos, fora Temer e Diretas já!
Com isso, vimos conclamar a Juventude: “Vem pra roda, entra na rede o projeto é nosso, é seu! Pela vida da Juventude, junte-se a obra de Deu!” (Pe. Reneu Zortea).
 Juventude Camponesa: Terra, Pão e Dignidade!
PJR: Mística, Luta e Resistência.
 Santa Cruz da Venerada, 21 de maio de 2017.
Juventude Camponesa da Pastoral da Juventude Rural – PJR / Regional do Araripe


Fonte e fotos: (PJR Brasil)
Da Redação do Blog Paulo Benjeri
PUBLICIDADE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um comentário

Todos os direitos reservados Blog Paulo Benjeri © Copyright 2013-2017

Veja também.